sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Wilco

.


Wilco é uma banda sobrevalorada... os seus discos estám bem, nom hai nengum mau, mas nom chegam ao nível das louvanças que adoitam receber, tanto da prensa musical como de moitos aficionados. A ver, é que eles e mais eu nom começamos com bom pé; quando os escuitei por vez primeira (o Summer Teeth do 1999) eu tinha em mente que tocavam americana, tal e como lera por aí, e fiquei descolocado. Tardei bastante em decatar-me de que o seu rolho era outro, que realmente som uma banda de pop-rock ao estilo beatle, com alguma querência por ritmos kraut (o que nom os fai piores que se fossem uma panda de folkies, nem moito menos).




Ora, o dito anteriormente aplica só aos Wilco dos discos. Ao vivo som outra cousa, o seu direto tem sona de ser dos melhores do mundo mundial... e despois de vê-los dou fe de que assi é. Dá igual que os temas sejam de Jeff Tweedy, nom tem nada que ver um concerto deste em solitário com um de Wilco: cumpre-se bem o tópico de que o todo é moito mais que a soma das partes. Porque Wilco, isso si que é innegável, som uma máquina perfeitamente ajustada, uns professionais do seu, que é tocar, cousa que fam com precisiom e contundência.





Por um show assi si que vale a pena abonar os 40 € que nos calcárom; uma cifra penso que excessiva para um concerto de rock, ainda que quase parecesse um saldo sabendo que noutros sítios desta mesma gira - e sem sair do estado espanhol - a entrada costava perto dos 100 €. Ademais o sítio, o novo Auditório do Mar de Vigo, era moito mais acaído que o inicialmente previsto (o pavilhom das Travessas, que era mais grande, mas com um som infame). A todo isto, houvo teloneiro, Jonathan Wilson, ainda que praticamente nom o escoitei, já que aproveitamos essa hora para beber cerveja na entrada. Nós nom queríamos fazer-lhe um feo ao Jonathan, mas resultou que os vasos de birra nom se podiam introduzir na sala... detalhe que se coidavam de advertir quando cha vendiam, os moi listos.



video



E que tocárom? Pois aí embaixo deixo o setlist... e este é outro ponto a favor dos diretos de Wilco, porque se num disco nom vam sobrados de canções, à hora de seleccionar 20-25 já é outro cantar... e isso que faltárom um par de temazos, nomeadamente "Spiders (kidsmoke)" e "At least that's what you said", aos que bem lhes podiam ter feito sítio. Isso si, por fim Moi puido escoitar em condições o "Heavy Metal Drummer", que por diversos e sucessivos gafes sempre se acabara perdendo nos seus concertos anteriores de Wilco. Polo demais, o repertório previssível: meia dúzia de temas do seu último disco, visitas frequentes aos seus discos cume "Yankee hotel foxtrot" e "A ghost is born", e puntuais lembranças do resto.


Sem comentários: